Hydrogen, máquina de ritmos avançada (básico)

Opa....

Beleza?
Hehe
Galera, há algum tempo atrás, todo o estúdio tinha que ter uma batera montada e microfonada e preparada para gravação multipista pra ser completo. Hoje em dia isso continua sendo verdade, mas também temos a nossa disposição os softs simuladores de baterias. No Linux temos o mais versátil e completo que se tem notícia o HYDROGEN. Há quem diga que o BFD, Batery ou EZdrummer é mais completo, mas na verdade isto é um equívoco. Pois os três necessitam de outros programas para poder trabalhar, alguns deles inclusive, nem abrem por si só, só abrem dentro de um terceiro programa. Colocar efeitos? A maioria deles só aceita efeitos pelo host. Bem... O caso aqui nem é o confronto de opiniões e sim os fatos. Então vamos à eles! O Hydrogen é um editor de bateria eletrônica completo, trabalha com um sistema de paterns integrado. Os paterns são alternados em uma playlist. Possui uma mesa de mixagem virtual, onde cada timbre da bateria utiliza um canal. É possível equalizar cada timbre, aplicar efeitos e chegar a um resultado surpreendente. É muito difícil distinguir o resultado do Hydrogen de uma bateria acústica de verdade. Talvez, em alguns casos, seja até mesmo irrelevante discutir se é uma bateria eletrônicamente criada ou uma bateria acústica, pois as amostras utilizadas são de uma bateria acústica pré-gravada. O que o Hydrogen faz é organizar as amostras nos paterns e possibilitar a equalização pelo usuário, o que resulta em um acabamento indiscutivelmente perfeito. Há grupos de samples para cada resultado desejado, ou seja: se você deseja uma bateria jazz, há um conjunto específico de samples, assim como muitas outras. Formidável.
Bem vamos ao que interessa, ou seja o soft em si...
O Hydrogen tem uma interface muito enxuta e intuitiva, como a maioria dos softs pra Linux:

Gerenciador de Kits

Usando o comando "alt+D" você chama o "Gerenciador de kits de Bateria" (todos estão disponíveis no menu exibir) Agora você pode escolher o drumkit que mais se adapta ao seu trabalho, em seguida, clique em Carregar Drumkit. Se você não curtir os kits padrão , existem muitos outros pela net, os "oficiais" podem ser baixados em: Hydrogen-music.org Drumkits

Kit escolhido é hora de trabalhar um pouco com o programa, para se familiarizar com o software. Os componentes da interface são explicadas abaixo:

O Editor de Padrão

Nele que você escreve quando cada peça da bateria é tocada, e também a força empregada ao tocar.

Como você pode ver a partir da figura acima, o momento em que é um instrumento destinado a tocar, é representado por um ponto. A linha vertical abaixo de cada nota representa a força que seu baterista virtual emprega na execução daquela peça. Se você clicar e arrastar a linha para baixo, o volume de uma determinada nota diminuirá, e... pra cima hehehe, óbvio né?


Controle total, essa é a melhor característica do Hydrogen, a figura acima da esquerda para a direita: O padrão número e o nome, o tamanho define quanto tempo um padrão é, a resolução define quantas notas podem caber em que o tamanho padrão. A barra de gravação permite-lhe gravar o que você tocar em seu computador através do teclado ou uma entrada MIDI.

O Editor de Música propriamente dito

Aqui é onde você programa quando cada padrão irá tocar durante a canção. Como você pode notar abaixo, muitos padrões compõem uma música inteira e esses padrões podem ser repetidos e até sobrepostos. Você também pode alterar o padrão do nome pelo botão direito sobre seu nome e escolhendo Propriedades.


Mixer

O mixer permite que você altere o volume de cada peça do seu kit, mais que isso, permite a você usar efeitos para cada um dos canais


Você pode adicionar efeitos LADSPA, clicando sobre o botão FX no canto inferior direito deste mixer, isto irá abrir a janela abaixo:


Um total de quatro efeitos podem ser adicionados a cada instrumento. Estes são adicionadas clicando no botão Edit e selecionando um efeito que você gosta. O nível de ação do efeito pode ser diferente em cada instrumento, utilizando os quatro botões (redondos hehehe) encontrado acima de cada volume Fader sobre o mixer. Está anotando aí o numero de possibilidades?? Hehehe, mas ainda tem mais

A Barra de Comandos

Ela permite que você quer reproduzir um padrão ou toda a canção. O tempo é mostrado como grandes números, que representam os batimentos por minuto. Este tempo pode ser alterado através da selecção de + e - botões encontrada próxima a ele ou clicando duas vezes sobre os números. Esta barra serve pra você escutar sua canção...


O Editor Instrumento

Esta janela não é muito importante para fazer uma música, mas pode ser usada para editar os sons de cada peça. Pode também através do botão "Randon Pitch" tocar as peças (como o próprio nome sugere) com pitchs aleatórios. Usado na medida certa este controle pode fazer sua bateria soar mais real ainda, uma vez que uma batida em alguma peça, dificilmente será parecida com a outra.


PS. Definições tiradas do site oficial numa tradução livre e ainda cheia de pitacos meus... por preguiça peguei as imagens na net mesmo(exceto a primeira)... que feio...


1 comentários:

Anônimo 13 de agosto de 2015 09:17  

Baixei hoje e de cara já curti!!!

Postar um comentário

Studio Linux BR?

Olá galera!
Eu sou o Ninja, e este é um blog relacionado a gravação e edição de audio usando programas opensource e freeware em plataforma Linux. Espero que curtam! Não deixem de conhecer meu trabalho musical no site www.ninjamusic.com.br